Testemunhos

Rosa, sinal da presença materna de Nossa Senhora

Gabriel Paulino
Escrito por Gabriel Paulino em 18 de fevereiro de 2014

Testemunho de Alexandre Hatchet – Porto Alegre

 

ROSAS DE NOSSA SENHORA

Graças à Deus voltei para a Santa Igreja pelas mãos imaculadas da Santíssima Virgem em meados de 1992, depois de insistir e sofrer inutilmente no espiritismo e outras seitas, aconteceu o momento da graça e a Mãe do Céu intercedeu, em outra oportunidade relatarei como foi este início abençoado. Hoje contarei um dos muitos “toques da graça” que imerecidamente recebi. Na verdade, como diz as Sagradas Escrituras, “todos pecaram e carecem da glória de Deus”, mas nosso Deus é infinitamente misericordioso e nos ama além dos limites imaginados, Ele nos ama com um Amor Divino e sem igual.

Comecei a minha devoção a Nossa Senhora, entretanto, depois de ler o livro “Histórias de uma Alma”, aliás “todos que lêem este livro, no final recebem graças”…leia a verás…Em seguida fiz a Novena das Rosas a Santa Teresinha do Menino Jesus (tercinho dos 24 glórias em honra aos agraciados 24 anos de vida desta querida santinha), nesta novena quase sempre você recebe como sinal da aceitação do pedido “uma rosa”…E quando rezei a minha primeira novena da rosas, no 9º dia da mesma, estava com meu pai (David) em uma igreja na cidade de Sapucaia do Sul (Igreja Nossa Senhora de Fátima, junto a BR 116)…era dia da visita naquele local da imagem peregrina de Nossa Senhora de Fátima, fomos lá por isso. A igreja estava lotadíssima, mas conseguimos um lugarzinho na frente. Neste dia já tinha rezado pela manhã o último dia da novena.

Quando o andor veio se aproximando todos cantavam e aplaudiram emocionados a Virgem Peregrina. Foi realmente um momento forte da presença de Maria. Fixei o olhar na passagem da Mãe do Céu. Nisto meu pai se abaixa e se vira para mim com uma linda rosa na mão. Eu paralizei e estático perguntei: “Que é isto pai ?!?” Ele respondeu: “É uma rosa que caiu da Nossa Senhora e logo me veio o pensamento que era para dar para o meu filho”. Cai num choro convulsivo, lembrei de Santa Teresinha, da graça que pedi, que não tinha nada de pedido material, somente em sempre me “ajudar na conversão”…ali com a Santa Mãe peregrina…foi demais….Infelizes aqueles que não entendem e não procuram fazer a experiência da comunhão dos santos e principalmente da presença materna de Nossa Senhora…Um sacerdote que vivia a santidade e hoje intercede por nós no Céu querido Pe. Uberto Meltz sempre dizia: “Nosso Senhor é muito cioso de sua Mãe”. É mesmo, quanto mais você se agarra na Gospa (Nossa Senhora em croata), mais Ela intercederá e ajudará você.

Mas em Medjugorje (1995), uma das graças foi logo na chegada. Embora todos já haviam participados e flutuados nas bençãos da Santa Missa na Igreja de São Tiago, pois os ônibus que trouxeram os peregrinos brasileiros do Grupo Servos da Rainha estacionaram em frente a esplanada da Igreja exatamente no momento em que os sinos das duas torres soavam.

Depois, à noite, a quase totalidade dos nossos peregrinos já estava dormindo e devidamente aconchegados nas pensões da Terra da Rainha da Paz…mas eu e mais dois peregrinos resolvemos ir rezar depois do jantar. Disse: “Sei que todos estão cansados, depois da travessia do Mar Adriático, a viagem de ônibus desde Split, mas estamos em Medjugorje, não podemos dormir”. Eles concordaram e fomos de a pé desde a pensão Atlas (a mesma onde trabalhou a vidente Mirjana) novamente até a Igreja. A mesma estava fechada, mas atrás (mais a esquerda) havia uma cruz de madeira rústica, bem simples, circundada de bancos, onde ali peregrinos de diversas partes do mundo rezavam o Rosário. Havia também muitas velas acesas, dos mais variados tamanhos e côres. Todo este clima espiritual preenchia-se em diferentes sons das “Ave Marias” e “Pai Nossos” que subiam até o céu, tendo como plano de fundo um luar inesquecível, onde aparecia lá no fundo o imponente Krizevac…Uma paz verdadeira, que só Deus pode dar.

Na volta para a pensão, logo nos primeiros passos, quando estávamos passando ao lado da torre direita da Igreja de São Tiago, automaticamente todos pararam, por causa de um maravilhoso e inigualável e forte “perfume de rosas”…Como Tomés ainda procuramos por rosas, mas nada havia ali…e o perfume delineava um caminho invisível que ligava a torre da Igreja com os Confessionários…Nós ficamos muito tocados e fomos glorificando ao Senhor por ter permitido tão lindo sinal que indicava muito mais do que o já conhecido “sinal do perfume de rosas”…Mas como disse um dos videntes certa vez: “o perfume de rosas é a presença da Gospa”. Era um cartão de visitas para nós, que vinha com um texto espiritual: “confessar”.

De fato, é impossível chegar a plenitude das graças sem a santa confissão, porque Jesus está Vivo nos Sacramentos e foi Ele mesmo que os instituiu para nossa salvação e ajuda. Lembro que a abençoada Irmã Briege Mckenna diz: “quando o padre levanta a hóstia santa na Missa, você pode acreditar, por que neste momento É O PRÓPRIO JESUS RESSUSCITADO QUE ESTÁ PRESENTE”.

Depois de ir o resto dos quase dois quilômetros caminhando, rezando e glorificando, quando já estávamos chegando na pensão Atlas, no lado direito da mesma, se abriu um leque de luzes multi coloridas no céu de Medjugorje e começaram a cair como pétalas resplandecentes de rosas…Novamente paralizados, demos graças a Mãe por tão lindo sinal. Senti interiormente que Ela estava feliz por optar de não ir dormir de imediato, mas ir rezar, claro, nada contra quem foi para os quartos depois da janta, porque foi realmente estafante a vinda da Itália até Medjugorje…mas também sabemos que a “vigília” é muito agradável aos olhos de Deus…E poucos minutos depois do sinal se desfazer no céu, estacionou o Reinaldo Pinheiro (hoje Revmo. e querido Pe. Reinaldo – responsável pela Associação Servos da Rainha e a Rádio Maria no Brasil)…ele estava de carona com um croata da organização dos peregrinos…Indagou Reinaldo num tom afirmativo: “Que houve? Vocês viram um sinal?” Fomos até o carro deles e eu disse “SIM…NOSSA SENHORA DEU-NOS UM SINAL DA SUA PRESENÇA COM PERFUME DE ROSAS AO LADO DA IGREJA (ENTRE OS CONFESSIONÁRIOS) E AGORA CHEGANDO AQUI…NOS RECEPCIONOU COM ESTE EXPLÊNDIDO SINAL DE LUZES COMO PÉTALAS COLORIDAS NO CÉU…” Lembro bem que acrescentei: “Reinaldo, quando pedi para a Gospa em ajudar-me para vir até Medjugorje, sempre rezei que não vinha aqui para ver sinais, mesmo sabendo que são abundantes, mas para aprofundar a minha conversão”. Ele respondeu: “Que maravilha…Ela sabe disto, mas concedeu a vocês estes sinais como bondade, um presente, Nossa Senhora é muito amável e doce”. Após esta santa recepção fomos dormir, ainda comentando quão grande é o Amor da Mãe para com os “seus queridos filhos”. Portanto, se você for a Medjugorge, nunca deixe de rezar à noite, porque as noites neste lugar são repletas de graças.

Não sou teólogo, mas penso que Nosso Senhor concedeu, como um dom, após a Assunção de Sua Santíssima Mãe ao Céu, o atributo da Onipresença, porque Ela afirmou em Medjugorje certa vez: “Meus filhos mesmo que vocês não tenham consciência da minha presença, eu estou sempre com vocês”. Assim, quando Jesus do alto da Santa Cruz, gerou nossa maternidade nos dando Sua Mãe como Nossa Mãe também: “Mãe eis ai teu filho”..e o apóstolo João naquele momento representava cada um de nós…creio que para cumprir esta missão materna, seria impossível sem a graça da onipresença…Só nos resta a agradecer tão misericordiso Deus, que mesmo sendo um Pai amoroso, nos deu esta Santa Mãe do Céu para nos ajudar e cuidar na caminhada rumo ao Reino dos Céus.

Fiquem na Benção Materna da Rainha da Paz!

Alexandre Machado
e-mail: xandehatchet@hotmail.com

Salve Maria!

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado.