Testemunhos

Resgate e Recuperação em Medjugorje

Gabriel Paulino
Escrito por Gabriel Paulino em 3 de janeiro de 2014
Resgate e Recuperação em Medjugorje

Testemunho de Kelly Ferrell – Chicago, Illinois – Estados Unidos

Resgate e Recuperação em Medjugorje

Eu não fui criada em uma família religiosa, ninguém ia à igreja. Quando eu era adolescente, minha mãe interessou-se na Igreja Católica e passou a frequentar o catecismo, e eu queria fazer o mesmo. Então poucos meses depois de minha mãe receber a confirmação, eu comecei as aulas de catecismo. Eu não sabia porque o catolicismo me atraiu, embora, eu tenha memórias interessantes da minha infância. Antes que eu me tornasse Católica, me lembro que, quando era criança, eu pegava um pedaço de pão branco, retirava a casca e esmagava o miolo até que ele ficasse fino. Então eu fazia um círculo do tamanho de uma comunhão e o comia, pedaço após pedaço. E então eu fingia que estava recebendo a comunhão comendo cada “wafer”. Eu achei isto interessante que eu tivesse este fascínio, não tendo sido exposta ao

Catolicismo exceto talvez pela televisão ou por vizinhos católicos.
Resumindo a história, eu abandonei a Igreja apenas depois de um ano ou dois. Após a minha breve passagem pelo Catolicismo, eu lentamente mergulhei na espiritualidade da nova era – ou gnosticismo da nova era para ser mais específica. Eu estava tão profundamente mergulhada dentro dele, totalmente acreditando nisto e extremamente teimosa e na defensiva sobre isto – ninguém poderia influenciar as minhas crenças. Eu tinha problemas com a Igreja e dizia que a “religião-estruturada” era limitada e criada pelo homem. Eu acreditava que estava dentro de “algo-maior” e que nem todos eram tão abençoados para ver isto.

Durante os dias em que eu era uma adolescente Católica, eu ouvi sobre Medjugorje e fiquei fascinada por ela – provavelmente mais pelos aspectos místicos do que pelas mensagens espirituais que estavam sendo enviadas. Então, eu sempre quis ir para ver o que Medjugorje era, mas nunca pensei seriamente que isto poderia ser possível.
Um dia eu navegava na internet, curiosa para saber onde Medjugorje e os videntes estavam nos dias de hoje. Tudo ainda estava acontecendo ? Eu encontrei o site medjugorje web e mandei um email curto para Steve Shawl, fazendo perguntas. Ele respondeu rapidamente e eu continuei mandando perguntas. Minha curiosidade se tornava mais e mais forte sobre isto. Um dia ele disse, “Nossa Senhora gostaria que você tivesse algo”, e me mandou um terço vindo de Medjugorje. Eu fiquei extremamente comovida e emocionada! Após receber o terço, eu tive a certeza de que iria fazer uma peregrinação até l o mais logo possível. Eu agendei a viagem para junho de 2001. Eu estava tão animada em ir.

Tinha certeza de que as pessoas já se perguntaram, uma vez ou outra, porque estão sendo chamadas para irem a Medjugorje. Steve me disse que achava que era um possível chamado de volta para a Igreja Católica! Eu estava bastante desconfortável com esta declaração e fiquei na defensiva. Não tinha jeito de Maria estar me chamando para me tornar Católica novamente ! Seria andar para trás ! Eu estava convencida de que estava indo para lá por ser agraciada de ser das poucas pessoas que verdadeiramente compreendia tudo o que estava acontecendo por causa de minhas crenças da gnósticas da nova era. E eu não tinha interesse em me tornar católica novamente.

Então, eu fui até Medjugorje, e no começo era muito desconfortável. Eu falava com as pessoas que frequentemente diziam “Louvado seja Jesus” ou “Aleluia!” ou iam a Missa TODOS OS DIAS! Eu realmente sentia que estava viajando com um bando de fanáticos religiosos Católicos e estava muito preocupada que eles estivessem forçando a sua fé sobre mim. Então minha defesa era muito alta, e eu seriamente comecei a me perguntar sobre o que eu estava fazendo ali. Parte de mim queria ir para casa, e eu não tinha ainda terminado o meu primeiro dia ali.

Então eu tive uma conversa incrível com uma amiga do IIPG (grupo internacional de oração pela internet) que caminhou comigo na montanha do Krizevac. Basicamente, eu tive um pequeno debate com ela sobre no que os Católicos acreditavam (porque confessavam-se com sacerdotes, etc…) O que me balançou foi a absoluta paixão em suas palavras. A fé dela era tão forte que, no momento em que chegamos no pé da montanha, eu não podia esperar para ir para a Confissão pela primeira vez em oito ou dez anos!
Fui para a Confissão e chorei. Eu confessei com o terço na mão no exato momento em que as multidões ficavam quietas porque Nossa Senhora estava aparecendo para Vicka em sua aparição diária. Então, eu me senti particularmente próxima de Maria durante a minha Confissão. Após a minha confissão, eu tive a minha primeira Comunhão desde a minha adolescência. Após a comunhão, meus amigos apontaram para o céu e eu vi o milagre do sol! Eu estava tão feliz!

Daquele dia em diante, parecia que todo aquele meu sistema de crenças na nova que eu guardava por anos SAIU DA MINHA CABEÇA! Meu coração estava aberto e eu não me sentia ameaçada pela ideia de talvez estar errada e de redescobrir a fé Católica. É incrível pensar que um forte sistema de crenças que você desenvolveu em oito anos pode ser completamente apagado em uma questão de dias. Eu ainda estou espantada quando penso sobre isto. Tudo começou com a conversa na montanha do Krizevac, e minha amiga com quem conversei é agora chamada por mim de meu “Anjo da Medju-Guarda”.

Eu gostaria de compartilhar mais uma história durante a minha primeira viagem a Medjugorje. Desde que ouvi falar de Medjugorje pela primeira vez, eu fiquei fascinada pelos videntes, e sempre sonhei em encontrar um deles. Mas pensei que estas chances eram eram até mais impossíveis do que algum dia viajar para Medjugorje.

Tive incríveis momentos em Medjugorje, sem arrependimentos, mas eu não encontrei com um vidente. Eu não rezei pela possibilidade, porque eu nunca pensei que isto fosse possível – até que um dia antes de nossa ultima tarde em Medjugorje. Eu caminhava com a minha nova amiga que sabia onde Vicka estava e ela me disse: “Talvez porque você não veio aqui pedir nada em particular, talvez o seu presente dado por Nossa Senhora seja encontrar Vicka”. Após falar com ela estar tão convencida de que minha amiga me apresentaria a Vicka, eu estava tão emocionada! Eu rezei para que este desejo se tornasse realidade naquela noite! Nós rezamos juntas por isto e eu não posso dizer a vocês o quanto eu sonhava com isto!
Ao chegar aquela noite, eu soube que Vicka estava cansada após chegar de uma longa viagem e não viria. Eu estava com o curacao completamente partido! Eu estava quase chorando! Eu estava triste, com raiva, desapontada! Eu sonhava com isto! Senti como se um truque sujo tivesse sido feito comigo e parecia estragar tudo o que eu senti durante toda a viagem.

A noite chegou e todos estavam na Missa. Eu soube que Vicka poderia sair após a aparição de Nossa Senhora (que acontece durante o terço antes da Missa). Eu me encontrei num dilema. Se eu ficasse e não fosse a Missa, eu poderia encontrar Vicka. Mas se eu ficasse, eu perderia a Missa e não receberia a Comunhão. Minha Anjo da Medju-Guarda me mostrou como é verdadeiramente importante (além da nossa compreensão) receber o Corpo, Sangue, Alma e Divindade de Jesus na Comunhão, então eu decidi ir.
Ao olhar para trás, eu quase vi isto como se fosse um teste. Talvez isto fosse um teste para ver se eu iria a Missa porque eu sabia que isto agradaria Nossa Senhora. Ou eu deveria ficar para encontrar Vicka porque eu quero ? Medjugorje não é sobre videntes, mas sobre as mensagens de Nossa Senhora e sobre como estar mais perto de Jesus. Então, o que vocês acham que eu pensei que Nossa Senhora preferia que eu escolhesse ? Eu estou feliz em dizer que eu passei no teste e agradeci Nossa Senhora porque eu escolhi receber a Comunhão ao invés de encontrar Vicka.

Mas o meu coração ainda estava pattido. De fato, eu estava tão triste e com raiva que eu rezei com raiva para Maria. Eu tinha me preparado para o momento, e quando ele não aconteceu, eu me senti tão triste por mim – especialmente durante o momento em que acontecia a aparição diária para Vicka. Eu estava na Igreja de São Tiago e em minha cabeça eu falava com Maria dizendo com lágrimas escorrendo pelo meu rosto: “Como Você pode fazer isto comigo ? Você quebrou o meu coração! Eu estava tão ansiosa por este pequeno desejo. Porque Você me deixou triste ? Eu queria tanto voltar para casa e dizer a todos deste tempo maravilhoso que eu tive. Mas como eu posso dizer algo bom sobre a viagem quando a última memória que eu tive e de ser completamente desolada e esquecida ? Eu achava que as orações eram atendidas. Eu não pedi nada de especial nesta viagem. E eu não acho que estava pedindo muito: “eu estava realmente machucada e não tive medo de mostrar isto a Nossa Senhora”.

Então após a Missa, eu não saí falando com todos, como eu normalmente fazia. Eu somente queria voltar para a pensão. Eu retornei com a minha colega de quarto, e quando chegávamos na porta de trás da pensão, para a MINHA SURPRESA – ESTAVA SENTADA VICKA! Ela estava sentada na varanda da casa onde eu estava hospedada! Senti-me quase como se, em vez de eu ir até ela – ela foi enviada até mim!

Foi como terminou a viagem. Eu disse a Vicka que a amava e ela ficou tão animada que ela estendeu os braços em torno de mim e me deu abraços e beijos ! Nossa Senhora realmente veio até mim.
Medjugorje para mim não significou descanso e relaxamento mas resgate e recuperação ! Eu não posso esperar para voltar lá !
Fonte da matéria: Spiritof Medjugorje 

Salve Maria!

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado.

One Reply to “Resgate e Recuperação em Medjugorje”

andre

Vicka estou com saudades de você
quando você vira novamente pois queria muito testemunhar pra você sobre nossa senhora em minha vida desde fico grato
beijão do andre o brasileiro que ama nossa senhora