Testemunhos

Nosso convite ao Paraíso - Nova Cura Milagrosa

Gabriel Paulino
Escrito por Gabriel Paulino em 11 de março de 2014
Nosso convite ao Paraíso - Nova Cura Milagrosa

Testemunho de Candace Evans, New Hampshire – Estados Unidos

Meu nome é Candace Evans. Tenho 43 anos de idade e vivo em New Hampshire com meu marido e meu filho de nove anos. Meus pais, ambos falecidos, eram judeus. Minha mãe era atéia. Nós nunca falávamos de religião em nossa casa, então eu nunca tive nenhum ensinamento ou direcionamento espiritual quando criança, nem mesmo quando adulta.

Em 1977 eu fui diagnosticada por biópsia com uma disfunção crônica ativa no fígado. Esta é uma doença terminal cMulher segurando terço e imagem de nossa senhoraom deteriorização das funções corporais pois o fígado vai se tornando mais e mais fraco e falha em filtrar o sangue. A doença progrediu vagarosamente pelos anos até a primavera de 1993, quando muitas coisas aconteceram, nenhuma delas muito boas! Eu estava trabalhando de noite com reabilitação de adultos. Uma noite um homem com quem eu estava trabalhando quebrou a sua cadeira de rodas nas minhas costas.

Isto me deixou totalmente incapacitada. Eu não podia me movimentar sem ter uma terrível dor, especialmente em minhas costas e minhas pernas. Também na mesma época eu descobri um inchaço em meu seio. Fui ao médico que fez uma biópsia e me disse que ele devia ser removido imediatamente. Ele marcou a cirurgia. Mas os exames pré-operatórios mostraram que o nível das enzimas do meu fígado estavam extremamente elevados e, após a consulta, ele me disse que não podia me operar, que eu não tinha possibilidade de resistir à cirurgia.

Agora, devido ao trauma em minhas costas, meu fígado começou a falhar rapidamente. Pouco tempo depois eu já não podia comer comida sólida pois não podia metabolizá-la ou digeri-la. Eu estava muito fraca e tinha grande dificuldade de respirar. Não saia de casa por mais de uma hora pois tinha medo de não conseguir voltar novamente. Minha pele perdeu toda a sua elasticidade e estava cinzento-amarela na cor. Então comecei a perder a visão e não conseguia mais ler. Os médicos fizeram muitos testes. Após obter os resultados, eles disseram a mim e a meu marido que não podiam fazer mais nada. Então fomos para casa. Tudo que podia fazer era assistir TV. Estava próximo da Páscoa de 1994. Um programa sobre Medjugorje estava passando na televisão. Eu realmente não estava prestando muita atenção porque era sobre religião, da qual eu não sabia nada.

Tudo o que pude compreender foi que era sobre a Igreja Católica, na ex-Iugoslávia e um local chamado Medjugorje. Senti uma urgência a saber mais disto. Após procurar nos mapas de meu filho sem achar nada, eu encontrei uma National Geographic com uma foto de uma colina coberta de cruzes e o nome “Medjugorje”. Estava tão feliz! Eu a tinha encontrado! Quando meu marido voltou para casa, disse a ele que eu DEVIA ir a este lugar! Ele pensou que eu tivesse enlouquecido!

Eu liguei para uma igreja e perguntei a eles se conheciam este lugar. A senhora disse que sim, e que alguém me ligaria. Alguns dias depois, uma senhora me ligou e disse que organizava “peregrinações” para Medjugorje. Eu não sabia o que eram “peregrinações” mas ela me disse que estava indo para lá em breve e eu disse a ela que queria ir também!

Surpreendentemente, em 28 de maio de 1994, eu cheguei em Medjugorje. No outro dia tinha ido a Igreja de São Tiago. A Igreja de São Tiago era a primeira igreja que eu tinha entrado em minha vida! Eu não sabia nada da Missa então simplesmente fiz o que todos faziam. Vi todos irem receber a comunhão e senti grande conforto na presença da Eucaristia, não tendo idéia do que era (realmente, naquela época eu pensava que eles recebiam um biscoito!). Senti como um lençol de paz cair sobre mim. Me achei totalmente imersa em uma tremenda paz a qual NUNCA tinha experimentado antes… tudo era lindo. Poucos dias depois, fomos até a paróquia de padre Jozo.

Assistindo padre Jozo falar de Nossa Senhora com tanto amor e devoção foi a coisa mais linda que já tinha visto. Ele nos deu a todos um terço e uma bela foto de Nossa Senhora. Então todos começaram a ir para a igreja novamente (pensava em talvez receber um outro biscoito). Lembrando da paz que me envolveu durante a missa na Igreja de São Tiago, me juntei ao grupo e fui. Vi que os padres estavam rezando sobre as pessoas, e algumas deles estavam caindo no chão. Me senti segura e padre Jozo rezou sobre mim e eu também caí. Me senti tão segura, tão leve e cai nos braços de uma Mãe que me ama muito, muito mesmo.

Eu não lembro muito do resto do dia mas quando acordei na manhã seguinte, imediatamente notei que a grande massa (meu fígado tinha se tornado inchado e com marcas de cicatriz) tinha desaparecido! Minha pele estava normal! Eu não sentia fraqueza ou dor finalmente! Eu estava bem.

Voltei para casa. Meu marido pode ver imediatamente quão diferente eu estava. Ele estava muito feliz. Após voltar para casa, tudo o que queria fazer era rezar e aprender sobre Jesus. Eu estudei muito duramente. Na Vigília Pascal do ano seguinte, meu marido, meu filho e eu fomos batizados e confirmados na fé da Igreja Católica. Meu filho tem sua mãe, meu marido sua esposa e nós temos uma fé muito forte. Todos somos gratos ! Tento viver as mensagens de Nossa Senhora de Medjugorje.

Sou muito agradecida por Ela nos convidar a rezar, jejuar, ler a Bíblia, ir à confissão e receber a Eucaristia. Todos nós gostaríamos de saber como melhorar nossas vidas. Nossa Senhora nos diz como. Este é nosso convite ao Paraíso!

Fonte: Medjugorje.WS

Salve Maria!

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado.