Testemunhos

Minha vocação sacerdotal é fruto de Medjugorje

Gabriel Paulino
Escrito por Gabriel Paulino em 19 de fevereiro de 2014

Testemunho de padre John Tino – Estados Unidos

Padre John TinoPadre John Tino da diocese do Brooklin, Nova Iorque, era um empregado quando soube sobre as aparições da Rainha da Paz em Medjugorje. Depois disto deixou o trabalho, estudou teologia e se ordenou sacerdote. É sacerdote já a oito anos e faz pouco tempo se tornou pároco de uma paróquia em Nova Iorque. Sobre a sua experiência durante uma recente peregrinação a Medjugorje, nos deu o seu testemunho.

Como teve a chamada para a vocação sacerdotal ?

Foi em 1989. Trabalhava em Nova Iorque e estudava administração de empresas. Um dia rezei uma oração para a Bem-Aventurada Virgem Maria para receber graças de Deus e a cura que precisava. Foi uma oração sincera dirigida a Maria. Enquanto pronunciava a oração, sentia algo muito profundamente em minha alma. Alguns meses depois, a mãe de um amigo meu veio até Nova Iorque. Falamos das aparições em Medjugorje e das mensagens da Rainha da Paz. Um dia conversamos até tarde da noite sobre as mensagens de Maria em Medjugorje, sobre o Rosário, a Missa e a Confissão mensal, sobre o jejum a pão e água duas vezes por semana, sobre a leitura da Sagrada Escritura. No dia seguinte comecei a rezar o Rosário! Comecei a viver as mensagens, a ler sobre elas, especialmente o livro de padre Slavko Barbaric REZEM COM O CORAÇÃO e outros livros também. Comecei a por em prática a minha fé, o que antes não fazia.

Alguns meses depois estive em Florença, Itália, e me consagrei a Bem-Aventurada Virgem Maria. Ali encontrei a vidente Vicka, cujo testemunho me comoveu profundamente. Permaneci mais algumas semanas na Itália e nesta época foi quando comecei a sentir a chamada ao sacerdócio. Antes tinha pensado em trabalhar como leigo na Igreja ou ser franciscano. Mas, por recomendação de um sacerdote, fui estudar em Roma, o que foi uma grande surpresa para a minha família – passar do mundo dos negócios ao mundo do sacerdócio. Para a minha família não foi fácil aceitar. Perseverei na vivência das mensagens, que continuamente convidam a conversão, a oração, a penitência e a vida segundo os sacramentos, especialmente a vida com a Adoração Eucarística. Viver as mensagens significa realmente agarrar-se a Bíblia. Ao terminar meu segundo curso de teologia em Roma, voltei para Nova Iorque e fiz o mestrado em teologia. Em 1996 entrei no seminário em Nova Iorque, a qual foi a minha primeira visita a este lugar. Medjugorje veio antes a mim para que me convertesse e receber a chamada ao sacerdócio, que tive em Medjugorje. Visitei ainda Medjugorje mais quatro vezes, já como sacerdote.

Como se sente em Medjugorje ?

Sinto a presença da Virgem, e esta é a presença de Deus. No Seu Coração Imaculado habita Deus Todo Poderoso, habita o Espírito Santo, assim cada vez que venho aqui me sinto renovado. Me sinto profundamente renovado em minha fé, de tal maneira que posso seguir a minha fé e servir aos homens. Especialmente me sinto renovado com a oração e com a possibilidade de confessar aqui em Medjugorje, onde sinto a fé das pessoas e esta fé fortalece a minha.

O falecido Papa João Paulo II chamou estes nossos tempos de “os tempos marianos”. A congregação para o clero, durante o ano sacerdotal, cita as palavras do Papa Paulo VI “Toda a vocação vem de Deus, mas passa pelo Coração da Mãe”. A Virgem, segundo o testemunho dos videntes, nos chama sempre de “queridos filhos”. Como sacerdote, como vive a presença da Virgem em sua vida ?

A Mãe que me atraiu a Seu Filho, continua fazendo isto. Em 1991 pedi a Maria que me levasse a Seu Filho. E isto é importante na vida do sacerdote, na minha vida, porque a cada dia me leva a Cristo.

O que significa para você a palavra Mãe ?

A Mãe é a pessoa que se preocupa com Seus filhos. Os alimenta, não com alimentos físicos, mas espirituais, sobretudo com o amor. Esta Mãe nos alimenta com o amor a Cristo A Mãe alimenta sempre os seus filhos com as palavras de consolo, de verdade, de simplicidade. Neste caso, Maria traz as palavras de Seu Filho, escritas na Bíblia, para poder seguir nos levando até a Salvação. E, como toda Mãe, quando os filhos não A escutam, Ela nos repete as Suas palavras.

Já fazem 28 anos que Medjugorje está presente na vida da Igreja. Observando os frutos, como você vê Medjugorje, em relação a nós que vivemos aqui ?

Vejo a Igreja Viva, precisamente como Deus A quer. Vejo as pessoas que estão enamoradas de Deus, por Maria. Vejo a prática da fé e a plenitude dos sacramentos. De maneira especial o Sacramento da Confissão, que é tão importante para a vida da Igreja.

Obrigado por ter vindo e porque encontrou tempo para esta conversa. Para terminar, deseja dar uma mensagem para os nossos ouvintes que seguramente nos escutam e lêem a nossa revista ?

A Bem-Aventurada Virgem Maria, de diferentes maneiras, vem sempre até nós, porque não quer nos perder. Estejam sempre perto Dela, que é a Mãe da Igreja. Rezem o Rosário. Enquanto contemplas os mistérios da Vida de Cristo, podem transformá-los nos mistérios de suas próprias vidas. Sejam conscientes da importância da conversão, de maneira especial nestes tempos. Procurem ao Senhor, sigam confessando-se e indo a Santa Missa com a ajuda de Maria. Maria nos diz aquilo que é importante para as vossas vidas nestes tempos. Para poder viver na simplicidade e para que não nos atropelem as coisas da vida e para que tenhamos a Deus no centro de nossas vidas que é a Alma da nossa salvação.

Traduzido por Gabriel Paulino
Fonte: Revista Glasnik Mira, agosto de 2009, páginas 16-17

Salve Maria!

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado.