Testemunhos

As mensagens de Medjugorje são uma cartilha para a vida cristã

Gabriel Paulino
Escrito por Gabriel Paulino em 18 de fevereiro de 2014

Cristhoph SchonbornNo início do mês de maio/2011, o cardeal Cristhoph Schonborn foi entrevistado pela rádio MIR Medjugorje e falou calorosamente sobre a sua visita privada a Medjugorje durante o Natal e Ano Novo 2009/2010.

O cardeal afirmou que a sua decisão de ir até Medjugorje veio como resultado da visita da casa-mãe da comunidade Cenácolo em Saluzzo, Itália para o festival anual “festival da vida” no verão de 2009. Ele disse que soube da profunda ligação entre Medjugorje e a comunidade Cenácolo e como a comunidade espalha pelo mundo inteiro e dá um ativo e visível testemunho da força da Ressurreição do Senhor. Ele disse que também queria usar o período em Medjugorje para o silêncio e meditação.
cardeal abençoa os fiéis em Medjugorje

cardeal abençoa os fiéis em Medjugorje
Cardeal abençoa os fiéis em Medjugorje

Quando perguntado do que ele se lembrava particularmente de sua peregrinação, o cardeal disse que lembrava de modo especial da celebração da Eucaristia na Missa da vigília (do ano novo) com milhares de peregrinos presentes. Ele também lembrou com gratidão de seu encontro com os padres franciscanos da paróquia e, como dominicano, ele sentiu uma forte ligação com os franciscanos.

A subida da colina das aparições e da montanha do Krizevac foram outras lembranças especiais do cardeal. Ele revelou que a subida da montanha do Krizevac com irmã Elvira (fundadora da comunidade Cenácolo), foi uma especial e forte experiência.

videntes de Medjugorje com o cardeal Schonborn
Encontro do cardeal Schonborn com os videntes em Medjugorje

O cardeal Schonborn falou das lembranças de seus encontros com quatro dos seis videntes: Marija, Mirjana, Ivanka e Vicka ficaram gravadas profundamente em seu coração e que está cheio de gratidão pela marcante hospitalidade em suas casas.

O cardeal também revelou que usou seu tempo na peregrinação como confessor, ouvindo confissões e acrescentou que o “segredo” de Medjugorje, como em Lourdes, é a proximidade de Nossa Senhora, e esta é a razão porque os peregrinos vêm até aqui.

Ele disse que o seu primeiro encontro com Medjugorje aconteceu nos anos 80, através de um grupo de oração que se reúne em uma igreja de Viena e o cardeal observou como as pessoas estavam rezando e vivendo de maneira especial por várias horas todas as semanas, rezando o Rosário com o coração, indo diante do Santíssimo Sacramento e celebrando a Eucaristia. Ele viu a boa vontade do grupo e o comprometimento como um sinal de que falavam a verdade. O cardeal Schonborn então falou de muitos grupos de oração formados na Àustria através de Medjugorje e como as pessoas nestes grupos tem aprofundado a sua fé e a sua vida cristã, infundidas pela Eucaristia e dão testemunhos de curas. Ele acrescentou que há 12 anos atrás a Igreja reconheceu e recomendou a associação “Oase dês Friendens”, uma associação que monitora e dá suporte aos grupos de oração baseados em Medjugorje na Áustria.

O cardeal foi perguntado se poderia dizer algo sobre os frutos no seu país e ele respondeu se encheram cestos com os frutos de Medjugorje. Ele lembra que fortes vocações sacerdotais foram decorrentes de Medjugorje, muitas conversões, famílias reforçadas na fé, libertas dos vícios.

O cardeal falou sobre as mensagens de Medjugorje e agradeceu a Deus por elas não serem “originais”. Ele disse que se as mensagens fossem espantosas, extraordinárias tudo poderia certamente ter desaparecido porque é impossível que a cada semana, a cada mês, a cada ano, dar mensagens espantosas. Como opinião pessoal ele considera as mensagens como simples e quase como uma cartilha para viver como um cristão: um contínuo chamado à oração, a conversão, a reconciliação e a paz, reconhecidas pelas palavras de Nossa Senhora: “Obrigada por terem respondido ao Meu chamado.”

Cardeal Shonborn disse que milhões de pessoas em torno do mundo lêem as mensagens e as reconhecem como um chamado da Mãe de Deus em nossas vidas; elas nos lembram todos os meses a rezar, a reconciliar e a amar a Virgem Maria. Ele acrescentou que através desta “escola”, Maria nos convida a seguir Jesus, a olhar para o Seu Filho, a ouvi-Lo, a imitá-Lo e a “fazer o que Ele lhes disser” foram as primeiras palavras de Maria ao povo. Ele sublinhou que “fazer o que Ele lhes disser” é a essência das mensagens em Medjugorje.

Foi pedido ao cardeal que desse uma mensagem especial para os paroquianos de Medjugorje e para as pessoas da Bósnia-Herzegovina e Croácia. Ele respondeu dizendo o quão impressionante foi o início das aparições. As mensagens de Nossa Senhora eram destinadas aos paroquianos e parecia que o Céu estava preparando Medjugorje para algo especial então os seus moradores deviam estar envolvidos. Ele disse que poderia ser difícil para a paz em Medjugorje se espalhar pelo mundo se os moradores não vivessem esta paz e esta “educação” feita por Nossa Senhora foi verdadeiramente maravilhosa para a paróquia, que se tornou um instrumento para a Rainha da Paz.

O cardeal mencionou que estaria no encontro de oração pela paz em Viena que acontecerá em novembro, pela quarta vez acontecerá na catedral de Viena e está confirmado que alguns dos videntes de Medjugorje irão participar e que ele aprova este encontro. Ele disse que a catedral poderia ser considerada como o coração da Áustria e este grande movimento de oração dentro do seu país trouxe muitas bênçãos e deve acontecer na catedral.

Cardeal Schonborn concluiu a sua entrevista expressando os seus agradecimentos a todos os envolvidos neste trabalho. Ele agradeceu à paróquia de Medjugorje, aos franciscanos em Medjugorje e disse que todos estão no seu coração e reza com grande alegria e gratidão.

Traduzido por Gabriel Paulino
Fonte: Crownofstars

Salve Maria!

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado.