Testemunhos

Chuva de graças

Gabriel Paulino
Escrito por Gabriel Paulino em 19 de fevereiro de 2014

Testemunho de Alexandre Hatchet – Porto Alegre

cruz brancaCaros irmãos e irmãs em Jesus, Maria e José!

Voltei para a Santa Igreja pelas mãos maternas da Rainha da Paz, mas este “começo” da conversão reservarei para outras partes. Neste primeiro relato, inicio pedindo perdão a Gospa por demorar tanto em compartilhar minhas experiências com meus irmãos e irmãs. Algumas experiências que relatarei são aparentemente bem singelas, mas a mensagem e a presença de Deus, Seu Santo Espírito e a intercessão da Nossa Mãe do Céu são sempre permanentes em todas elas. São como sementes de luz que ao cair em um coração fértil produzirão frutos para a maior glória do nosso Deus.

Também ressalto que não me preocuparei na cronologia dos fatos, mas sim na inspiração de deixar que a própria Gospa cuide disto e disponha da melhor maneira. Por isso, que às vezes, partilharei experiências, antes de ir a Medjugorje…vocês compreenderão, amém!

CHUVA DE GRAÇA

paroquiaEra 24 de junho de 1995, na verdade já era o 14º Aniversário das Aparições da Rainha da Paz em Medjugorje, pois foi neste dia no ano de 1981 que Ela foi vista pela primeira vez na Colina Podbrdo por parte dos videntes. Ivanka foi a primeira a vislumbrar uma visão da Mãe do Céu pairando sobre as pedras do Podbrdo. Mirjana que também neste dia teve a graça de avistar a Mãe do Senhor, disse que “era algo bastante esquisito, uma mulher jovem, tendo uma criança no colo e flutuando sobre a colina…porque ninguém andava lá em cima, pois só tinha cobras, pedras e espinhos…” De fato, era algo impressionante e numa primeira vista até apavorante para Ivan que saiu correndo deixando os chinelos para trás, fazendo Vicka depois comentar divertidamente sobre a disparada “corajosa” do primo.

Mas de volta ao ano em pauta, nosso grupo de peregrinação composto de 262 pessoas, que segundo, o agora, Revmo. Pe. Reinaldo Pinheiro foi o mais numeroso de todas as viagens organizadas pela Associação Servos da Rainha. Entretanto, para quem já fez a experiência de uma peregrinação internacional sabe que aos poucos os elos vão se unindo e o Espírito Santo torna o grupo uma grande família.
Naquela manhã, como santa parte da agenda diária, começávamos com a melhor parte, isto é, a Celebração da Eucaristia na Capela de Adoração que situa-se ao lado da Igreja de São Tiago. Mas nesta manhã chuvia muito e tínhamos programado com Reinaldo uma “Caminhada pela Paz” que sairia da frente da Igreja até em cima da Colina das Aparições…mas terminada a Santa Missa a chuva aumentou…Eu estava meio gripado por causa das constantes mudanças de temperatura, isto é, ônibus com ar condicionado, dias e principalmente tardes escaldantes e em Medjugorje se caminha bastante. Mas desde a Itália, na visita a Lanciano e à noite no Esplanada Hotel em Pescara, véspera da travessia do Mar Adriático nos Aerobarcos da Atlas, o resfriado já dava sinais sensíveis e desconfortáveis…todavia isto não era problema, porque as pequenas cruzes nas peregrinações nos fortalecem quando as oferecemos pelos Planos de Deus…
Nos abrigamos em baixo das árvores existentes na esplanada em frente a Igreja, perto das torneiras das águas, que fica a direita (visto de quem sai da Igreja), mais a frente a esquerda fica a já famosa imagem toda alva da Gospa num pequeno jardim circular…

O que fazer??? Vou me molhar e piorar nesta longa caminhada ?!?
Meu amigo e companheiro de quartos na santa peregrinação me desencorajava, mas de certa maneira prudente, dizendo que “você pode piorar e não temos guarda chuva, nem capa de chuva” … Afinal de contas, junho na Europa é pleno verão… Todavia entrei num dilema interior que durou poucos minutos, mas foi muito intenso, uma dúvida profunda e pensava: “Mas estou em Medjugorje…a Gospa pede sacrifícios…a Bósnia ainda está em guerra…o eco das metralhadoras e as explosões de bombas se faz ouvir até aqui…”

colina em medjugorjeE decidi, falando para o Roalves e olhando os grandes e constantes pingos de chuva cairem:

“Vou ir mesmo assim, não importa se eu me molhar, estou em Medjugorje vim de muito longe com a ajuda da Gospa e não posso decepcioná-la…vou oferecer pelas Suas Intenções…”
Mas quando dou exatamente o primeiro passo, uma mão me interpela e me alcança uma capa de chuva (em pleno verão)…Olhei atônito…era uma senhora que sorria e me dizia, vai na caminhada, depois você me entrega…agradeci e segui em frente…
Caminhamos em fila, uns lado a lado, outros tipo fila indiana, mas todos rezando o Rosário por entre as plantações, que já possuem umas inesquecíveis trilhas, naquele momento encharcagas pela chuvarada…trilhas de Medjugorje que mais parecem caminhos para o paraíso…

Muitos do grupo desistiram de ir na caminhada por causa da chuva, espero que não tenham deixado sua fé afogar, porque Deus nos põe a prova, não para testar, mas para nos dar ainda mais graças, este é o segredo, por de trás de cada provação existe uma benção, se você não desistir…basta dar o primeiro passo e o Senhor estenderá a Sua Santa Mão em nosso auxílio…no sinal da mão estendida com a capa de chuva, como disse no começo, pode parecer pouco, apenas um simples ato de caridade e até de cordialidade…entretanto…o Espírito de Deus nos fala através de pequenos acontecimentos e o coração recebe as mensagens…

Continuamos caminhando e rezando, segurando na Mão da Mãe através do Terço, como nos disse o santo Padre Jozo: “segurar o Terço é segurar a mão da Gospa”, e mesmo antes de chegar em Bijakovic (vila ao pé do Podbrdo, onde reside até alguns dos afortunados videntes)…a chuva parou por completo e ao chegarmos em cima da Colina o céu azul resplandeceu e o sol dispontou…no local das aparições, que na época era uma Cruz de Alumínio (hoje é uma imagem branca igual a da frente da Igreja) que marca o local exâto quando Ela falou pela primeira vez com o grupo completo das crianças escolhidas (25 de junho de 1981, por isso dia 25 é o dia “oficial”…), todos cantaram dando glórias e louvando o Senhor por nos dar tão grande dádiva, que é a presença diária da Sua e Nossa Mãe do Céu em Medjugorje…

Também com o acompanhamento de um sacerdote nos renovamos a consagração a Nossa Senhora pelo método de Monfort…depois de um tempo, procurei a senhora, dona da capa de chuva e agradecido devolvi a ela, que sem dizer nada transpareceu um sorriso, que mais parecia a Gospa feliz por aqueles seus “queridos filhos”, que se decidem a iniciar uma caminhada em prol dos Seus Maternos Planos…

Na volta o Reinaldo tinha disponibilizado os ônibus para voltarmos, mas eu e outra peregrina resolvemos retornar a pé, em ação de graças, novamente rezando o Rosário, agradecendo ao Senhor Jesus e a Gospa por estar ali naquele santo lugar…Resumindo, foi tudo uma chuva de graças, como diz na linda canção interpretada por Eliana Ribeiro da Canção Nova…então irmão e irmã, não tema as tempestades do caminho, siga em frente, segurando na Mão da Mãe e seguindo as pegadas do Senhor, não se deixe afogar, não afunde, creia porque Deus se manifestará, Ele só quer que você sinta a experiência de dar o primeiro passo…retome seu caminho…a Gospa nos ajuda, amém!

Benção Materna da Rainha da Paz a todos!
De coração, Alexandre Machado

Se desejas ir até Medjugorje, por favor nos escreva:
medjugorjebrasil@gmail.com

Salve Maria!

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado.